Juliana escreve
408
page-template,page-template-blog-large-image-with-dividers,page-template-blog-large-image-with-dividers-php,page,page-id-408,page-parent,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-1.0

“Se eu tivesse cumprido todas as regras, eu nunca teria chegado em qualquer lugar”. Afirmou Marilyn Monroe, e eu acrescentaria que provavelmente eu não estaria vivendo o combo de sensações que me envolve neste momento. E então entre os quase mil quilômetros caminhando por dias passamos...

Cumpro a sina de toda mulher, levanto bandeiras, edifico reinos. Não aceito as evasões que me moldam, não abrigo revoluções desnecessárias e vivo ignorando as verdades absolutas. Lido continuamente entre uma corda fina diante um penhasco pela dor, medo, depressão, alterações hormonais, maquiagem escondendo as...

Há tempos venho observando o comportamento de  homens com vinte anos, e meninos com cinquenta. Alguns que abraçam cuidadosamente ocupações com ética e responsabilidade, e outros que vivem se aventurando em todos os segmentos de uma vida. Alguns que adquirem profissão, e outros que colecionam títulos. Alguns...

É muito simples sentar numa charmosa poltrona e romantizar um complexo trabalho já pronto. Enaltecer o ego como se o dom não precisasse de estudo, de dedicação e abdicação. Me reconhecer como escritora é deleite, claro. Um trabalho que somente tem resultado depois de muito...

Comecei a amar Ipês amarelos a partir Rubem Alves, nunca tinha lido alguém com tamanha doçura e cuidado para falar apenas de uma árvore. Mas não, nunca foram apenas árvores. Embarcava nas suas palavras como se enxergasse fotografias graciosas em minha mente. Caminhando rumo a Catedral...