Juliana escreve
408
paged,page-template,page-template-blog-large-image-with-dividers,page-template-blog-large-image-with-dividers-php,page,page-id-408,page-parent,paged-5,page-paged-5,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-1.0

Aquele par de olhos esverdeados quando me encarou pela primeira vez me desmoronou, seguido de um convite para um vinho. Aquele jeito tranquilo para falar sobre amenidades, miudezas e estudos científicos. Outro convite e eu já conseguia imaginar o pós-vinho, nós dois. Foram dois anos desde...

Após a morte de vovô e todo o processo de quarentena que atravessei, hoje foi a primeira vez que eu estive no local onde o seu corpo foi repousado. E também a primeira vez que eu pude compreender nitidamente a morte dele. No início do...

Ainda bem pequena, aprendi a me calar para ouvir o outro, sobretudo quando se trata das pessoas ‘mais velhas’; cresci com senhor ou senhora para os pronomes de tratamento; sigo pedindo desculpas com facilidade, assim como por favor, e obrigado. Tenho uma dificuldade absurda em...