Arquivos Crônicas - Irreverência Baiana
77
archive,tag,tag-cronicas,tag-77,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-1.0

 Um milhão de reais foi o preço da mansão alugada, bebidas mais caras do mundo ali dentro, amigos importantes e festas cheias de mulheres selecionadas e mais lindas. Tudo certo para os shows diários de quase cem mil pratas, réveillon planejado frente a uma das...

Abandono um ano intenso que jamais serei capaz de descrever o que vivi. E olha, que eu tento desenhar em palavras tudo aquilo o que sinto, desde os devaneios até as anotações essenciais. Um ano tão especial que vai para a lista dos anos mais inesquecíveis...

É muito simples sentar numa charmosa poltrona e romantizar um complexo trabalho já pronto. Enaltecer o ego como se o dom não precisasse de estudo, de dedicação e abdicação. Me reconhecer como escritora é deleite, claro. Um trabalho que somente tem resultado depois de muito...

“Vamos com calma”, pede Valeska. “Real, oficial, arrasou!”, exclama Fernanda.  “Estou pensando”, eu digo. Três mulheres distintas, nascidas em cidades diferentes, em famílias com infindas peculiaridades, com histórias de vida de tirar o fôlego. Um trio para ninguém conseguir colocar defeito. O destino é algo curioso,...

Entramos em curto, não dá para continuar atualizando todas as redes sociais em tempo simultâneo. Antes eram somente os finados Mirc e o ICQ, que uniam gentes de todas as tribos. Bate papo da uol e MSN. Cada um em seu tempo, nada misturado, não...

Venda seu voto e abandone qualquer premissa ética nesse de compra e venda no mercado negro da democracia e afirme o quanto é capitalista. A venda de um voto recaí nos quatro anos seguintes, abarcam consequências dolorosas nos âmbitos sociais, econômicos, culturais e políticos. Flagelamos o nosso...

O médico sinaliza a necessidade de alguns exames. Me mantenho em jejum após as 22:00 horas, uma fom e descontrolada por saber que eu não posso mais comer. Acordo três vezes na madrugada me dirijo até a cozinha, abro a geladeira e bebo água, apenas. Acordo...

Viajar é a interminável angústia de fazer e desfazer as malas. As minhas carregam histórias imprevisíveis, desnorteantes e inesquecíveis. Já tentei seguir fórmulas para caber mais roupas ou sapatos, sempre algumas coisas ficam pelo caminho ou em urgência compro outro um suporte para aguentar os devaneios...